Saúde da Mulher

Bichectomia: a cirurgia que reduz as bochechas

Publicado em 30/10/2017

Uma cirurgia capaz de deixar qualquer pessoa com a carinha de Angelina Jolie. Brincadeiras à parte, a bichectomia é um procedimento de redução das bochechas que tem conquistado muitas pessoas, especialmente mulheres. Na cirurgia é retirado o tecido que dá volume às bochechas, a chamada bola ou gordura de Bichat. Daí vem o nome bichectomia.

A cirurgiã dentista Mirela Reis explica que a cirurgia ganhou força nos últimos anos por conta do efeito estético que a remoção das bolas de Bichat proporciona, porém a profissional enfatiza que a técnica cirúrgica tem, também, indicação terapêutica. “Há pacientes que têm essa massa de gordura avantajada ou mais projetada para o interior da boca e estes sofrem constantemente com trauma nas bochechas causado por mordidas. Para a resolução desse problema a bichectomia é a cirurgia escolhida”, destaca.

Segundo Mirela, não só a bichectomia, como procedimentos estéticos em geral têm tomado força na última década. A cirurgiã conta que a busca por técnicas – cirúrgicas ou não – que possam deixar o rosto mais harmônico cresce dia após dia. “Os resultados alcançados pela bichectomia normalmente são rostos mais finos, maçãs do rosto marcadas e ramo de mandíbula evidenciado. Hoje essas características são sinônimos de sensualidade e acabam sendo impulsionadas pela mídia e pelas redes sociais. Outro fator determinante para a popularização desta técnica foi a realização da mesma em celebridades,  tais como Kim Kardashian e Angelina Jolie, que possuem grande visibilidade e são referências de beleza na atualidade”, comenta.

A cirurgia proporciona uma melhora no contorno do rosto, causando afinamento da parte inferior da face, tornando-a mais retangular. O efeito alcançado nas mulheres é a evidenciação das maçãs do rosto, o famoso "efeito blush", que tanto se fala hoje em dia.

A secretária Elisangela Decker fez a cirurgia no mês de maio e conta que está satisfeita com o resultado. "Eu nunca gostei das minhas bochechas, além de me incomodarem para me alimentar. A cirurgia é muito tranquila, rápida e o pós-operatório também. A partir do terceiro mês já notamos uma grande diferença. Fiz a cirurgia com a Dra. Mirela Reis e estou amando o resultado, sinto-me muito melhor, minha aparência mudou muito, simplesmente perfeito. Super recomendo", declara Elisangela.

 

 

Qualquer pessoa pode fazer a cirurgia?

A cirurgiã reitera que o resultado final da bichectomia é variável de pessoa para pessoa, podendo ser desde muito discreto até bem evidente. Mirela diz que o indivíduo que se incomoda com o tamanho de suas bochechas deve procurar um profissional qualificado para realizar uma consulta inicial. Ela lembra que nem sempre esse aspecto de bochechas aumentadas é decorrente das bolas de Bichat e cabe ao profissional identificar as possíveis causas do problema relatado e eleger o procedimento que melhor se enquadre em cada caso. 

Quando se fala em contraindicações para a realização da bichectomia, a cirurgiã evidencia dois fatores importantes que devem ser levados em consideração. “O primeiro deles é a idade mínima indicada, pois a cirurgia só poderá ser realizada em pacientes que já tiverem alcançado o completo crescimento da face, que normalmente acontece entre os 16 e os 20 anos. O segundo fator se refere à saúde geral do paciente. Como estamos falando de um procedimento cirúrgico, fatores de risco como cardiopatias, diabetes e pressão alta devem ser avaliados e precisam estar devidamente controlados para que tudo ocorra com segurança”, acrescenta.

 

Atenção

Os profissionais aptos a realizar a bichectomia são os cirurgiões dentistas e cirurgiões plásticos, por se tratar de profissionais com mais conhecimento de anatomia facial. A gordura removida durante a cirurgia se localiza próximo a estruturas muito importantes e sensíveis como o ducto da glândula parótida e ramos do nervo facial. Por isso, o conhecimento correto da relação dessas estruturas com a Bola de Bichat deve ser respeitado para que complicações decorrentes de técnica possam ser evitadas.

 

Homens também aderem à cirurgia

Culturalmente falando, não é novidade que as mulheres são mais preocupadas com a aparência do que os homens, pois a própria sociedade impõe padrões estéticos e antienvelhecimento muito maiores sobre elas. Na contramão dessa cobrança estética sobre as mulheres, os homens, por sua vez, acabam deixando de realizar procedimentos estéticos pelo preconceito também imposto pela sociedade. Ainda assim, Mirela destaca que houve uma crescente, mesmo que discreta, de homens em consultórios à procura de procedimentos que aumentem sua autoestima.

 

Tempo de duração da cirurgia e recuperação

Segundo Mirela, o tempo médio de duração da etapa cirúrgica é de 30 a 50 minutos. É feito um corte de menos de um centímetro em cada lado da bochecha através da cavidade oral, portanto não há formação de cicatriz aparente. Segundo a profissional, é esperado bastante inchaço no rosto nos primeiros três dias e alguns hematomas podem ser evidentes.

A cirurgiã explica que as recomendações pós-operatórias são semelhantes às indicadas após extrações dentais: manter uma dieta de alimentos líquidos e pastosos, assim como evitar a ingestão de alimentos e bebidas quentes nas primeiras 48 horas. “Após o quarto dia, geralmente, as atividades sociais e trabalho podem ser retomadas, desde que essas não demandem esforço físico. Academia deve ser evitada por três ou quatro semanas, sendo liberadas atividades aeróbicas a partir de duas semanas”, conclui.

Compartilhe

Comentários