Saúde no Vale

Setembro Verde: a conscientização sobre o Câncer Colorretal

Publicado em 12/09/2019

O Câncer Colorretal é o terceiro mais frequente em homens e o segundo em mulheres. O tumor atinge o intestino grosso e está cada vez mais incidente na população brasileira. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, o INCA, em 2018 foram registrados mais de 36 mil novos casos de Câncer de Intestino. Em 2017, o tumor levou mais de 18 mil pessoas a óbito.

Para desmistificar o assunto e orientar a população, o Hospital Santa Isabel participa da campanha Setembro Verde. O objetivo é incentivar a população à procurar profissionais especializados para realizar exames preventivos e quando surgirem ao menos um dos sintomas: sangue nas fezes, alteração do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre alternados), dor ou desconforto abdominal, fraqueza e anemia, perda de peso sem causa aparente, alteração na forma das fezes (muito finas e compridas), massa abdominal.

Apesar do maior índice de Câncer Colorretal ser a partir dos 65 anos, é recomendado o monitoramento preventivo da doença a partir dos 45 anos de idade. Se houver histórico familiar, os exames preventivos devem ser iniciados mais precocemente e em intervalos menores. O acompanhamento pode ser realizado por consultas com o Coloproctologista ou Gastroenterologista. Para a prevenção, além dos exames, recomenda-se alimentação adequada, rica em vegetais, controle do consumo de carne processada ou vermelha, prática regular de atividade física e check-ups programados.

O exame mais recomendado para detectar o Câncer de Intestino é a colonoscopia – exame de imagem em que o paciente é sedado e um aparelho flexível é introduzido do ânus até o intestino. A colonoscopia permite a visualização de todo o cólon e do reto.

Tumores menores, ainda benignos, também chamados de pólipos, podem ser retirados por colonoscopia. Já os maiores ou em estados mais avançados contam com opções cirúrgicas. Há ainda outras opções de tratamento complementar, como a radioterapia e a quimioterapia. Para o tratamento cirúrgico, o Hospital Santa Isabel conta com uma equipe especializada em procedimentos como cirurgia aberta, laparoscópica convencional e robótica.

 

 -- 

Texto: Jornalista Gabriel Silva

Imagem: Philipe Oliveira

ACSC – Associação Congregação de Santa Catarina

Hospital Santa Isabel

Compartilhe

Comentários

 
Publicidade:
LiLi

Psicanálise no Divã